St. James School

A Saint James é um colégio para alunos e artistas, localizado em Bournemouth, na Inglaterra.
 
InícioInício  PortalPortal  FAQFAQ  BuscarBuscar  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 Miss California

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Jasmine D. Pierce
Bitches
Bitches
avatar

Player : Anna, of course.
Mensagens : 49
Data de inscrição : 09/09/2012
Idade : 22
Localização : St. Jimmy

MensagemAssunto: Miss California   Sex Nov 23, 2012 5:06 pm

Personagens Principais*

Lilian Shepard || Lily || 17 anos || 3º ano || Dianna Agron


Lily é uma garota romântica e sensível. Não é muito popular no colégio, mas é muito querida pelas amigas. Sua maior inimiga é a garota mais popular do colégio, que também é a namorada de sua paixão secreta. Agora ela está no último ano do ensino médio e quer que seja o melhor ano de sua vida, porém ela tem certeza de que vai surgir um drama. No entanto, ela não vai deixar que nada estrague isso.

Samantha Flynn || Sam || 17 anos || 3º ano || Amanda Bynes


Sam é uma das melhores amigas de Lily. É uma amiga fiel, com quem você pode sempre contar e que sempre tem um bom conselho para dar. Não importa em qual situação você esteja, Sam vai estar sempre do seu lado. É muito divertida e adora festas. Está junto com Lily no 3º ano e vai fazer de tudo para que ela e seus amigos possam brilhar no último ano do ensino médio.

Madison McGrath || Maddie || 17 anos || 3º ano || Nina Dobrev


Maddie é uma das melhores amigas de Lily. É esperta, mas não muito inteligente. Não que ela seja burra, só um pouco confusa. É muito vaidosa e adora roupas e garotos. É conhecida no colégio por ser o tipo "pegadora". Porém, Maddie tem uma queda por um de seus melhores amigos. Os dois vivem brigando, porém, no fundo, sabem que se gostam e só brigam para esconder o que sentem.

Lewis Cooper || Leo || 18 anos || 3º ano || Adam Brody


Leo é um dos melhores amigos de Lily. É muito inteligente e meio nerd. Todos sabem que ele tem uma queda por Lily, inclusive a própria Lily. Vive discutindo com Maddie, porém é só para esconder que realmente gosta dela. É um gênio quando o assunto são computadores. Ele consegue hackear qualquer endereço da internet. Tem dificuldade em falar com garotas. É muito tímido e não gosta de esportes em geral.

Miranda Fox || Mia || 17 anos || 3º ano || Michelle Trachtenberg


Mia é a maior inimiga de Lily e também a garota mais popular do colégio. É linda, rica, excelente atriz, inteligente. Mas não se engane com esse rostinho de anjo. Por trás dele existe uma garota mimada, manipuladora, cruel, fria, calculista, disposta a fazer qualquer coisa para conseguir o que quer. Mia namora Fred Collins, o garoto mais bonito do colégio e a paixão platônica de Lily.

Fred Collins || Freddie || 17 anos || 3º ano || Ian Somerhalder


Fred é o garoto mais bonito e popular do colégio. Namora Mia Fox, apesar de só gostar dela pela sua aparência. É simpático, engraçado, inteligente, atlético, além de, claro, extremamente bonito. O que poderia faltar? Ao contrário da namorada, Fred gosta de jogar limpo e não se importa em perder as vezes. Tem um bom coração e é amigo de todo mundo.

Ronald Fletcher || Ron || 17 anos || 3º ano || Diego Boneta


Ron é o melhor amigo de Fred. Trabalha num clube de Tênis, para conseguir dinheiro, já que não conta com a ajuda de seus pais quando esse é o assunto, devido ao fato de não saber gastar bem o dinheiro. É azarado e pé frio, porém é muito divertido. É conhecido por ser um pegador e nunca realmente se apaixonar. Porém o que poucos sabem é que ele tem uma paixão secreta. Eu só não posso dizer quem é.

Victoria Fiennes || Vicky || 18 anos || 3º ano || Bar Rafaeli


Vicky é a melhor amiga de Mia. Bom, melhor amiga é um termo relativo. O mais correto seria assistente. É Vicky que fica com todo o trabalho sujo dos planos maléficos da Mia. Ela é uma das garotas mais bonitas do colégio, se não a mais bonita. O que mais a irrita é acharem que ela é apenas um rostinho bonito. Na verdade por trás dele, existe uma garota muito inteligente, exímia dançarina e gênia das artes marciais.

* Ao longo da história novos personagens serão adicionados. Esses são apenas os principais.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Jasmine D. Pierce
Bitches
Bitches
avatar

Player : Anna, of course.
Mensagens : 49
Data de inscrição : 09/09/2012
Idade : 22
Localização : St. Jimmy

MensagemAssunto: Re: Miss California   Sex Nov 23, 2012 5:07 pm

1º capítulo - When it All Started


Ahn... Oi. Eu sou a Lilian. Mas pelo amor de Deus, me chamem de Lily. Não sei o que meus pais estavam pensando quando me deram esse nome. Eu odeio ele. Mas não vou falar disso agora. Vou começar falando um pouco de mim. Eu tenho 17 anos, três melhores amigos, dois irmãos irritantes, pais divorciados, uma casa em Malibu, uma paixão secreta e uma inimiga, que por acaso é minha vizinha. Se não se confundiu, ótimo. Mas se você se confundiu, não se preocupe, você vai acabar entendendo. Agora vamos à história.

Tudo começou no primeiro dia de aula. Eu tinha dormido demais e ia chegar atrasada, graças a Sophia, minha irmã mais velha, que demora cerca de 10 anos para sair do banho.

- Anda logo, garota, eu vou me atrasar! - eu gritei, batendo na porta do banheiro.

- Não é problema meu! - gritou Sophia de dentro do banheiro.

Sophia não se importa com ninguém além dela mesma. Ela é muito bonita, mas não tem nada na cabeça. Talvez minhocas, mas eu nunca fui lá pra ver.

Depois de uns 10 minutos ela finalmente saiu do banheiro, me lançando um sorrisinho irônico irritante como se dissesse "Feliz agora?". Entrei no banheiro e tomei um banho bem rápido. ]Me vesti com a primeira roupa que vi pela frente e peguei minha mochila bem a tempo de ouvir a buzina do ônibus escolar na porta de casa. Passei pela cozinha, dando um rápido tchau para minha mãe. Entrei no ônibus com pressa e procurei um lugar disponìvel. Bem no fundo do ônibus, vi meus 3 melhores amigos, sentados, conversando animadamente. Maddie, linda como sempre, sentada num banco sozinha, na frente de Sam e Leo; Sam, rindo, sentada ao lado de Leo; e Leo, sentado ao lado de Sam, com um livro nas mãos. Sentei-me do lado de Maddie.

- Oi gente! - eu disse. - Sobre o que estavam falando?

- Planos para esse ano. - disse Leo.

- Eu quero ficar com o Ronald. - disse Maddie, lançando um olhar furtivo a um garoto sentado alguns bancos à frente.

- Eu quero fazer a Miranda - começou Sam, indicando com a cabeça a garota sentada um banco a frente de Ronald. - sofrer a maior vergonha da vida.

- Tô com você! - eu disse. - Miranda Fox precisa mesmo de uma boa dose de humilhação. E você Leo?

Leo ia abrir a boca para responder, mas Maddie foi mais rápida.

- Leo ainda não disse o que planejava, - disse ela, com um sorriso malicioso, me olhando. - mas eu aposto que envolve você Lily.

- Dá pra parar, Mad? - eu disse, irritada. - O Leo já superou isso. Não é, Leo?

- Bom, eu... - começou Leo, mas Maddie o interrompeu novamente.

- Viu só? - disse ela. - Ele ainda te ama Lily.

Eu a ignorei.

- Sabe, estou com uma boa impressão sobre esse ano. - eu disse, sonhadora. - Vai ser o melhor ano das nossas vidas.

O ônibus parou. Havíamos chegado à escola.

______Hello______
JASMINE D. PIERCE

JAS + CHEERLEADER CAPTAIN + BITCH + I'M SEXY AND I KNOW IT + FATAL BLONDE + SINGLE Cool
thanks brittany from @ bg!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Jasmine D. Pierce
Bitches
Bitches
avatar

Player : Anna, of course.
Mensagens : 49
Data de inscrição : 09/09/2012
Idade : 22
Localização : St. Jimmy

MensagemAssunto: Re: Miss California   Sex Nov 23, 2012 5:23 pm

2º Capítulo - Humiliation

Algumas coisas nunca mudam, não é? Pois é, no primeiro dia de aula é sempre a mesma desorganização para sair do ônibus, no meu primeiro ano na Melbourne High, eu quase tinha sido derrubada por aquele bando de alunos que insistiam em sair todos ao mesmo tempo, na maior confusão. Com o tempo, eu acabara aprendendo que era melhor (e menos arriscado) esperar um pouco para sair. Um minuto depois, só havíamos nos quatro no ônibus e foi aí que nos levantamos e saímos. Logo após passarmos um tempinho na fila da secretaria, esperando para pegarmos os horários, fomos caminhando em direção à primeira aula do dia: Biologia.

- Mas e você, Lily? – perguntou Sam. – Não disse sua meta para esse ano.

- Se bem que não é muito difícil de deduzir, né? – disse Maddie, insinuante, indicando um lindo garoto de cabelos negros e olhos muito azuis. Eu corei e encarei o chão, envergonhada por estar tendo essa conversa na frente de Leo.

Tudo bem, eu admito. Eu tinha meio que uma queda (na verdade, um abismo) por Fred Collins desde o sexto ano. Mas ele namorava a garota mais popular do colégio, Miranda Fox, então era meio que inalcançável. Por enquanto.

Percebendo minha demora para responder, Sam se manifestou:

- Ah, qual é, Lily! Não precisa se passar por boba pra nós! Conhecemos você melhor que você mesma! – disse ela.

- Tudo bem, eu me rendo. – respondi e tanto Maddie quanto Sam exibiram um sorriso triunfante. Leo por outro lado pigarreou, mostrando seu desconforto. – Mas não é só isso que eu quero.

- E o que mais? – riu Maddie. Paramos na porta da sala de Biologia.

- Quero fazer valer a pena. – eu disse, dramaticamente. Dois segundos depois, o sinal bateu e entramos na sala.

Como sempre, nos sentamos nas carteiras da frente. Pode me chamar de nerd, se quiser, mas eu nunca gostei de me sentar no fundo da sala, com toda aquela bagunça. Preferia me sentar na frente, onde dava para ouvir o que o professor dizia. E também porque ficava mais perto da porta. Logo que nos sentamos, Fred, Ronald, Miranda e, sua melhor amiga – ou melhor, assistente – Victoria Fiennes, entraram na sala e se sentaram junto com os outros populares no fundo da sala, conversando alto e fazendo a maior bagunça.

O professor de Biologia, Sr. Cole, entrou na sala, na sua habitual expressão de preferia-ter-ficado-em-casa. Não era segredo para ninguém que ele não gostava nada de dar aulas e que estava sempre de mau humor. Rolava um boato pela escola de que ele um dia fora vocalista de uma banda de rock nos anos 80, mas os outros integrantes da banda o expulsaram e ele foi obrigado a dar aulas de Biologia para sobreviver, por isso era tão amargo. Bom, verdade ou não, o fato é que ele entrou na sala sem sequer dizer um simples “Bom dia” ou “Como foram as férias? ”. Ele deixou a maleta sobre a mesa, pegou um pedaço de giz e escreveu no quadro negro, com sua caligrafia inclinada, o assunto da aula: Animais vertebrados. Revirei os olhos. Digamos que Biologia não é exatamente minha matéria favorita. Por isso, parei de prestar atenção quando o professor se virou para a classe e começou a explicar a matéria. Estava totalmente perdida em pensamentos, quando Sam, que se sentava ao meu lado, pisou no meu pé, para chamar atenção.

- Ele tá olhando para cá – sussurrou ela, com um sorriso malicioso.

- O quê? – eu disse, incrédula. Me virei. Fred Collins estava realmente olhando para cá. Ele me dirigiu um sorriso, mas desviou o olhar quando Miranda, sentada ao seu lado, lhe deu uma forte cotovelada bem nas costelas. Eu corei, ignorando a última parte.

A aula passou bem rápido depois disso. Minutos depois – ou foi o que pareceu – tocou o sinal para o primeiro intervalo. Eu, Maddie e Sam fomos até nossos armários, que eram vizinhos e eram localizados perto da biblioteca, enquanto Leo se dirigiu ao dele, que ficava perto do ginásio, do outro lado da escola.
Abri meu armário e peguei meu material de Literatura, que era a próxima aula. Então, de repente o armário se fechou e atrás dele surgiu ninguém menos que Miranda Fox, com uma cara de poucos amigos, acompanhada de Tori, que fazia malabarismo para carregar um copo de café da lanchonete, uma bolsa Louis Vuitton (que provavelmente nem era dela) e dois pesados livros de Química – o seu e o de Miranda.

- O que acha que está fazendo, Shepard? – disse ela, agressivamente, pronunciando a última palavra com desdém. – Fred e eu namoramos há seis meses. Não vou deixar você estragar isso.

- Eu não estava estragando nada, Fox. – eu disse, do mesmo jeito que ela acabara de falar. – Era o Fred que estava me olhando, não o contrário. Agora, se me dá licença, tenho que ir pra aula. – eu ia sair andando em direção à sala de Literatura, mas Miranda bloqueou minha passagem.

- Fica longe dele. – disse ela, em tom de aviso.

- Quem disse que você manda em mim? – respondi, enquanto Sam e Maddie se entreolhavam, pressentindo que algo ia acabar mal.

- Eu disse. – falou Miranda, enquanto eu cerrava os dentes. Ela deu uma risadinha. – Vamos embora, Tori. - e se virou para sair andando. Mas, então, pareceu mudar de ideia. Parou, subitamente e se virou pra mim, sorrindo, falsamente inocente. – Mas antes... – ela tirou o copo de café das mãos de Tori e despejou todo o conteúdo bem na minha cabeça.

Miranda exibiu um sorriso triunfante. Tori olhou para mim, chocada e lançou-me um olhar quase piedoso. O corredor estava lotado de pessoas, mas todas olhavam para mim, algumas chocadas, mas a maioria rindo e tirando fotos. Sentia meus olhos molhados, mas não ia chorar naquele corredor, cercada daquelas pessoas horríveis. Saí correndo, em direção ao banheiro. Maddie e Sam foram atrás de mim, mas eu não sentia vontade de falar com ninguém. Me tranquei na única cabine vazia e lá, desabei. As lágrimas não paravam de descer. Mas eu não ia dar aquele gostinho à Miranda. Enxuguei as lágrimas com as costas da mão e saí da cabine. Joguei água no rosto e tentei secar meu cabelo da melhor maneira possível. O cheiro de café ainda me perseguia, mas pelo menos não estava tão forte quanto antes. O sinal tocou, indicando o fim do intervalo, mas eu não tinha a menor vontade de ir para a aula. Então, saí do banheiro, tentando ignorar todos os comentários maldosos que me acompanhavam e segui para as arquibancadas.

Eu me sentei nas arquibancadas e fiquei lá, até que bateu o sinal do segundo intervalo. Então, instantes depois, vi duas figuras atravessando o campo de futebol, vindo em direção às arquibancadas.

- Eu disse que ela estaria aqui. – disse Maddie, que vinha na frente, virando-se para falar com Sam, que vinha um pouco mais atrás. As duas subiram as arquibancadas e se sentaram ao meu lado.

- Você tá bem? – disse Sam.

- Eu... já estive melhor. – respondi, sentindo as lágrimas descendo pelo meu rosto novamente.

- Teríamos vindo antes, mas... a Srta. Hilton nos achou e nos mandou para dentro da sala. – disse Maddie, se referindo à nossa professora de Literatura. – Leo queria vir, mas dissemos pra ele que era melhor que tivéssemos um papo de garotas. – eu dei uma risadinha.

- Tudo bem. – eu disse, com um sorriso triste. Encostei a cabeça no ombro de Sam – Nunca me senti tão humilhada na minha vida toda. – eu já estava começando a chorar novamente. Maddie e Sam me abraçaram, para me consolar. Segundos depois, o sinal tocou.

- Você vem? – perguntou Sam, enquanto ela e Maddie se levantavam.

- Podem ir. Eu quero ficar sozinha. – eu disse. As duas não insistiram e saíram andando. As duas já tinham atravessado o campo novamente, quando me arrependi da minha decisão. Não precisava de mais tempo sozinha. Saí correndo, para alcançá-las. E foi por causa de toda essa pressa (com uma pequena ajuda da minha falta de coordenação motora) que eu acabei esbarrando na única pessoa naquele campo, além de mim. Eu me desequilibrei, mas quem quer que fosse me segurou, antes que eu pudesse cair. Foi aí que vi quem era.

- Oi. – disse Fred, sorrindo. - É Lilian, né?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Jasmine D. Pierce
Bitches
Bitches
avatar

Player : Anna, of course.
Mensagens : 49
Data de inscrição : 09/09/2012
Idade : 22
Localização : St. Jimmy

MensagemAssunto: Re: Miss California   Sex Nov 23, 2012 5:38 pm

3º Capítulo – Comfort

De repente, toda a tristeza e humilhação que eu estava sentindo sumiram. Para você ter ideia de como a presença de Fred me afetava, tudo que eu fiz foi ficar lá, congelada, sorrindo como uma retardada mental. Então, me dando conta de que eu estava parecendo uma idiota, sacudi a cabeça com força. Então, sorri de volta para ele.

- Oi. – eu disse, sem saber como agir. – Sim, é Lílian, mas prefiro só Lily. E você é o Fred. – afirmei, sorrindo, enquanto ele confirmava com a cabeça. Fred e eu estudávamos na mesma classe desde o jardim de infância, como a maioria das pessoas naquela escola, mas na verdade, nunca havíamos nos falado antes, a não ser que informar que dia é ou dizer as horas conte.

- É melhor irmos, ou vamos nos atrasar. – disse ele. De repente, me lembrei de tudo que havia acontecido. Sentia-me frágil e exposta, sem Maddie ou Sam ou Leo ali, ao meu lado para me confortar.

- Não vou à aula agora. – eu disse, olhando para o chão enquanto atravessávamos o campo.

- Por quê? – perguntou ele, parando subitamente e olhando para mim. Em seguida, ele deu um tapa na própria testa, como se acabasse de perceber o óbvio. – É por causa do acidente com a Mia não é?

- Se tivesse sido um acidente eu iria à aula. – eu disse, sentindo, subitamente, raiva. – Ela jogou café em mim por livre e espontânea vontade. A vaca. – eu disse, sem conseguir me controlar. Então, me lembrei com quem eu estava falando. – Me desculpe. Sei que ela é sua namorada e tudo mais, mas... Não nos entendemos muito bem. – para minha surpresa, Fred apenas riu.

- Tudo bem. – disse ele. – Isso é entre você e a Mia. E se te faz sentir melhor, ela realmente agiu como uma vaca. – ele deu uma pausa e olhou para mim, sério. Eu tive que rir. Ele continuou: - Mas não acho que seja motivo pra faltar à aula.

- Bom, eu acho que é. Não vou agüentar as piadinhas. – eu disse. - Eu devo ficar lá nas arquibancadas pelo menos até a hora do almoço. Eu... vou voltar pra lá.

Eu me virei e caminhei de volta até as arquibancadas. Então, ouvi a voz dele de novo e parei.

- Ei, Lily! – Fred me chamou. Eu me virei para ver o que era. Eu mal esperava que ele fosse dizer... – Quer companhia?

Hesitei por um instante. Por um lado, o garoto mais lindo da escola, de quem eu gostava há mais de 5 anos, estava se oferecendo para me fazer companhia enquanto eu estava quase deprimida. Por outro, ele tinha uma namorada capaz de qualquer coisa. Ah, que se dane!

- Claro. – eu disse, simplesmente, tentando sorrir.

Então, começamos a conversar. Falamos sobre tudo: música, filmes, livros, família, escola... Eu me senti tão à vontade com ele, quanto me sentia com Maddie, Sam e Leo. Então, quando finalmente acabou o assunto, não me segurei.

- Fred, se me permite a pergunta... Por que tá namorando a Miranda? – eu perguntei. – Quer dizer, vocês dois são tão diferentes...

Ele hesitou um pouco em responder, mas depois de alguns instantes, se manifestou:

- Pra ser sincero, eu... Eu não sei. – disse ele. – No começo namoramos porque gostávamos da aparência um do outro. E eu achava que isso era suficiente. Mas agora já aprendi que só beleza não basta. Não temos muita coisa em comum. Nós mal conversamos. Acho que ela nem sabe meu nome do meio.

- Ah, qual é! – exclamei, surpresa.

- Estou falando sério! – ele disse. – Sabe, acho que você, com quarenta minutos de conversa, sabe mais sobre mim do que a Mia sabe com 6 meses de namoro.

– Não pode ser verdade. – eu disse, incrédula. – Vejo vocês pela escola todo dia e parecem um casal tão... Perfeito e apaixonado. Nunca imaginei que o relacionamento de vocês fosse tão superficial.

– Pois é, acho que nenhum de nós gosta realmente um do outro. – disse ele. – Só não termino com ela porque isso destruiria completamente a popularidade de nós dois.

- Então, pra vocês isso é só uma questão de popularidade? – perguntei. Ele fez que sim com a cabeça e eu não pude evitar dar uma risadinha.

- Eu sei, é meio egoísta. – disse ele.

- Meio? Quer dizer, extrema e absurdamente egoísta. Vocês populares só pensam em si mesmos...

- Ei, o que tem contra os populares? – perguntou ele, ligeiramente indignado.

- Populares são pessoas superficiais e mesquinhas que esnobam as outras pessoas só porque não são tão bonitas ou tão ricas. Não acho isso certo. Vocês superestimam a aparência e o dinheiro de um jeito quase doentio.

- Então beleza pra você não vale nada?

- Não foi o que eu quis dizer. Só acho que não é uma coisa tão necessária. Há outras mais importantes, como inteligência, simpatia e amigos de verdade. Coisas que não existem no mundo perfeito da popularidade.

- Obrigado por me chamar de burro, antipático e falso. – disse ele, fingindo-se ofendido. Eu ri.

- Desculpe. Eu não me referia a você. Acho que, talvez, nem todos os populares sejam assim. – eu disse sorrindo.

Foi quando eu percebi que nossos rostos estavam há menos de 10 centímetros de distância. Ah. Meu. Deus. Eu estava prestes a beijar Fred Collins, o amor da minha vida desde o 5º ano. Ele se inclinou para mim, e eu fechei os olhos, mas, exatamente naquele momento oportuno, o sinal tocou, indicando que era hora do almoço.

- Eu... Tenho que ir. – eu disse, depois de atravessarmos o campo e entrarmos no corredor do colégio, indo em direção à lanchonete. – E, ahn, obrigada por me fazer companhia. Foi divertido.

- É, eu... também achei. – respondeu Fred. Ele estendeu a mão para mim. – Amigos?

- Claro. – eu respondi ligeiramente triste, porém sem demonstrar isso. Queria dizer a ele que queria ser bem mais que apenas sua amiga, mas tudo que faltou foi coragem. – Até mais!

Ele acenou e foi até seu armário, enquanto eu ia para a lanchonete, me encontrar com Maddie, Sam e Leo e contar a eles tudo o que acontecera.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Jasmine D. Pierce
Bitches
Bitches
avatar

Player : Anna, of course.
Mensagens : 49
Data de inscrição : 09/09/2012
Idade : 22
Localização : St. Jimmy

MensagemAssunto: Re: Miss California   Sab Nov 24, 2012 6:30 pm

4º capítulo – The Big Chance

A primeira semana de aula passou bem devagar. Eu duvidava que as pessoas da escola fossem esquecer tão cedo o pequeno desentendimento entre mim e Miranda, mas por enquanto tudo que eu podia fazer era tentar ignorar todas as piadinhas cruéis e os olhares de pena. O que não era tão difícil, uma vez que eu realmente não estava ligando para nada do que as pessoas diziam. A conversa que eu tivera com Fred me deixara bem mais confiante. Eu tinha a ligeira impressão de que ele não contara à namorada sobre tudo que tinha acontecido nas arquibancadas e eu agradeci a Deus por isso. Vai saber o que Miranda faria se descobrisse.

Mas, voltando à história, como eu já disse a semana passou bem devagar. Eu dei graças a Deus quando o fim de semana chegou. A maioria dos professores, como a Srta. Hilton, de Literatura, tiveram piedade de nós e não passaram nenhuma lição na primeira semana de aula. Mas outros, como o Sr. Cole e a Srta. Tross, de Trigonometria, não foram tão legais assim e já começaram o semestre passando uma pilha de lição de casa. Por isso, o fim de semana não foi lá tão divertido quanto deveria.

A segunda feira chegou. Dessa vez, quando eu entrei no ônibus, não havia a mesma animação da semana passada. Dessa vez, quando paramos em frente à escola, não houve a mesma confusão para sair do ônibus. Dessa vez, quando entramos na escola demos de cara com a vice-diretora Davis, mandando todo o mundo para o auditório, onde a diretora Richards teria uma pequena conversa com todos os alunos a partir do 2º ano.

Já sabendo do que se tratava, todos nós obedecemos. A diretora fazia isso todo ano. No primeiro dia de aula, tinha uma conversa com os novatos e no primeiro dia da semana seguinte, conversava com os veteranos. O discurso foi exatamente o mesmo que havia feito no ano anterior. A diretora disse que, por ser mais velhos deveríamos dar exemplo aos calouros e seguir todas as regras e tudo mais. Ela também disse que qualquer brincadeira de mal gosto que venha a ocorrer não será tolerada (o que é uma grande mentira, levando em consideração o que havia acontecido semana passada). Depois fez todos os avisos de sempre, sobre atividades extracurriculares, universidades e coisas do tipo. Todo mundo já estava se levantando e se dirigindo à saída, quando a diretora disse que ainda não tinha terminado. Todo mundo teve que voltar para o lugar em que estava, todos totalmente chocados, porque a diretora sempre encerrava o discurso após falar sobre orientação vocacional e faculdades. Depois que todos já estavam sentados, ela continuou a falar:

- Esse ano, teremos um... Evento diferente ocorrendo na escola. Pela primeira vez, nosso colégio foi um dos escolhidos para o Concurso Miss California.

Todos começaram a falar ao mesmo tempo. Claro que todos já tinham ouvido falar daquele estúpido concurso de beleza. Acontecia todo ano e durante semanas inteiras, tudo que passava nos canais locais de TV tinha algo a ver com o bendito concurso.

- Deixe-me explicar como funciona: o concurso Miss California é um concurso de beleza anual que escolhe a garota mais bonita do estado da California. Todo ano, milhares de garotas de todo o estado se inscrevem nesse concurso, e esse ano, nossa escola foi escolhida para sediar a primeira seleção, que ocorrerá em Los Angeles. Primeiro, serão escolhidas as 5 garotas mais bonitas, inteligentes e talentosas da cidade. As selecionadas irão concorrer entre si e apenas uma será escolhida para o verdadeiro concurso que, esse ano, será em San Francisco. Podem concorrer apenas garotas de 15 a 17 anos. Não há um limite de vagas para a seleção na escola, mas só serão aceitas inscrições até essa sexta. As garotas que se interessarem devem se inscrever na secretaria.

E dizendo isso, liberou todos para irem para suas salas. A partir daí, o concurso era o principal assunto do colégio. A secretaria estava sempre lotada de garotas histéricas que queriam se inscrever no concurso e todos os dias apareciam nos jornais ou na TV notícia sobre o “Miss California”.

- Não entendo o porquê de toda essa confusão. – eu disse, na quinta feira, enquanto eu e Sam passávamos em frente à secretaria, à procura de Maddie. – É só um concurso de beleza.

- Ah, qual é, Lily? Você tem que entender o ponto de vista delas. – disse Sam, ligeiramente na defensiva. – Para algumas garotas, um concurso como esse pode ser uma grande oportunidade. Sabia que estão dando uma bolsa de estudos em Stanford para o primeiro lugar?

Olhei para ela, incrédula. Já estava prestes a dar uma bela bronca nela e dizer como aqueles concursos eram machistas e que nenhuma bolsa de estudos valia tamanha humilhação, quando vi saindo da multidão ninguém menos que a Maddie. As palavras escaparam da minha boca. Quer dizer, eu sabia que a Maddie era vaidosa, mas se inscrever num concurso de beleza era demais, até mesmo pra ela. Quando me viu, ela tentou disfarçar, mas não adiantou.

- Maddie! – gritei, indo em direção a ela. – Você se inscreveu nesse concurso de beleza?

- Foi mal, Lily! – disse ela, parecendo arrependida. – Eu sei que você é totalmente contra esses concursos, mas... bom, a vencedora vai aparecer na capa da Teen Vogue! E você sabe o quanto eu amo a Teen Vogue!

- Maddie! – eu disse, irritada. – Nenhum prêmio justifica isso! Você faz ideia de quanto esses concursos são machistas? Eles promovem uma imagem tão degradante das mulheres e só valorizam a beleza exterior. Concursos de beleza são para garotas como a Miranda Fox, que tem um rostinho bonito e nada além de vento na cabeça! Você sabe o quanto...

- A Sam também se inscreveu! – disse Maddie, me interrompendo. Sam lançou a ela um olhar fulminante. Eu olhei para ela, sentindo-me traída.

- Você se inscreveu! – eu disse, indignada. – E nem me contou!

- Eu ia te contar, Lil... – disse ela, como se estivesse se desculpando. – Mas sabia que você ia reagir desse jeito. Mas eu posso explicar, tá legal? Eu só me inscrevi por causa da bolsa de estudos. Você sabe que tanto meu pai quanto minha mãe estudaram em Stanford, foi lá que eles se conheceram. E sempre foi meu sonho estudar lá. Por isso, eu quero muito ganhar esse concurso.

- Não acredito que fizeram isso comigo! – eu disse, totalmente incrédula. – Eu nunca esperaria algo tão fútil e superficial de pessoas como vocês!

Naquele momento, o sinal tocou. Como o próximo horário era na sala de estudos, continuamos por ali mesmo. A multidão em frente a secretaria se dispersou. As únicas pessoas lá além de nós três eram as duas últimas garotas que eu queria ver naquele momento: Vicky Fiennes e Miranda Fox. Miranda parecia ter acabado de fazer sua inscrição no concurso e estava impaciente esperando por Vicky, que, pela primeira vez na vida, estava fazendo algo por vontade própria.

- Não pude deixar de ouvir a conversa de vocês, garotas. – disse ela, transpirando inocência, com sua carinha de anjo.

- Claro que pôde. – eu disse, sarcástica, com mais falso que consegui. – Só optou por ouvir, né, Fox?

- Que seja. – disse ela, dando de ombros. – Enfim, participar de concursos de beleza não é vergonha nenhuma, Shepard! Você só diz isso porque sabe que nunca conseguiria ganhar um concurso desse tipo.

- Se quer saber, eu poderia ganhar fácil esse concurso. Só não me inscrevo porque acho ridículo! Assim como as garotas que se inscrevem neles. – respondi, ácida, porém Miranda ignorou a última parte.

- Se você quer saber, eu acho que você nunca conseguiria ganhar um concurso desse tipo. Para ganhar, é preciso ser bonita, inteligente e talentosa. O que você, como podemos ver, não é. Além disso, é tão covarde que nem tem coragem de se inscrever. É hora de encarar a realidade, Shepard. Você nunca seria Miss California.

E com isso saiu andando, com Vicky, que tinha acabado sua inscrição, me deixando tão irritada que aposto que tinha fumaça saindo pelas minhas orelhas. Virei-me para Sam e Maddie, que estavam ligeiramente assustadas.

- Me empresta uma caneta! – eu disse, autoritária. Maddie pegou uma caneta da bolsa e me deu. Então caminhei até a secretaria. – Quero me inscrever no concurso Miss California.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Miss California   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Miss California
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Miss ESC 2014
» Aerosmith.
» Miss ESC 2015
» Miss ESC 2017 - Semifinal 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
St. James School :: OFF :: Fanfics-
Ir para: